PPGGEO | (92) 3305-2869 / 3305-2863 (R. 217) / 99128-6351 |

 

Disciplinas atualizadas em 2016/2 

 

1. SEMINÁRIOS – PGGCI 501

Nº de créditos: 4.2.2 - Carga Horária: 60 h (30 Teoria / 30 Prática)

Ementa: Desenvolvimento de pesquisa e apresentação escrita e oral de assunto vinculado à área definida como tema para a dissertação.

Objetivos: Apresentar aos alunos, em aulas expositivas, as normas de elaboração de dissertações de mestrado vigente na UFAM. Discutir a forma de elaboração e desenvolvimento de trabalhos científicos. Abordar diferentes técnicas e abordagens para a elaboração de apresentações orais. Acompanhar, debater e subsidiar o desenvolvimento dos projetos de dissertação dos mestrandos, mediante exposições metodológicas e apresentações individuais de progresso, propiciando o intercâmbio intelectual entre alunos e orientadores.

 

2. GEOLOGIA DA AMAZÔNIA OCIDENTAL – PGGCI 518

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Apresentar os contextos geológico, estrutural, geotectônico e geocronológico da Amazônia, com ênfase na sua porção ocidental, onde serão mostradas também as principais propostas de compartimentação geotectônica/geocronológica do Cráton Amazônico. Outro assunto relevante abordado será a relação entre as épocas e províncias metalogenéticas de cada domínio geológico-estrutural da Amazônia, além dos aspectos litoestratigráficos e dos recursos energéticos e não energéticos das bacias sedimentares do Amazonas, Solimões e

Acre. O curso culminará com uma prática de campo, onde será realizada uma seção geológica desde a borda norte da Bacia do Amazonas até o embasamento paleoproterozóico.

Objetivos:

• Apresentar o esboço litoestratigráfico da Amazônia, enfatizando sua porção ocidental, permitindo ao aluno conhecer o estado atual do conhecimento (principal);

• Ressaltar as divergências entre as principais propostas de evolução geológica apresentadas para o Cráton Amazônico, discutindo os pontos de cada um dos modelos (secundário);

• Discutir de modo crítico o cenário do conhecimento atual do Cráton Amazônico, levando o aluno a correlacionar os eventos geológicos e as principais épocas metalogenéticas (secundário).

 

3. PLANETA TERRA – PGGCI 519

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 30 Prática)

Ementa: A Terra e o Sistema Solar. A composição da Terra: camadas externas e internas. Introdução à deriva continental e tectônica de placas. A litosfera terrestre. Minerais. Rochas ígneas, metamórficas e sedimentares. As deformações nas rochas: dobras, falhas e fraturas. O tempo geológico e seus registros. Intemperismo e erosão.

Ação geológica das águas, ventos e geleiras. Pratica e laboratório.

Objetivo Geral. Mostrar a Terra como um planeta dinâmico, sujeito a atuação de processos endógenos e exógenos, que influenciam diretamente sobre a litosfera, atmosfera, hidrosfera e consequentemente biosfera.

 

4. TÓPICOS ESPECIAIS EM GEOLOGIA – PGGCI 513

Disciplina sem ementa fixa, que será oferecida de forma normal ou condensada, com carga horária de 45 horas (3 créditos), que versará sobre tópicos selecionados e específicos dentro das linhas de pesquisa.

 

5. TÓPICOS ESPECIAIS EM GEOCIÊNCIAS – PGGCI 515

Disciplina sem ementa fixa, que será oferecida de forma normal ou condensada, com carga horária de 30 horas (2 créditos), que versará sobre tópicos selecionados e específicos dentro das linhas de pesquisa.

 

6. TÉCNICAS ANALÍTICAS APLICADAS ÀS GEOCIÊNCIAS - PGGCI 528

Nº de créditos: 4.2.2 - Carga Horária: 60 h (30 Teoria /30 Prática)

Ementa: Estudo das técnicas analíticas com suficiente sensibilidade para a determinação da composição química e mineralógica dos materiais geológicos (rochas, solo, sedimentos e água).Aulas expositivas e práticas.

Objetivo Geral. Apresentar as técnicas analíticas como ferramenta auxiliar na solução de problemas geológicos. Fornecer suporte para que os alunos possam reconhecer os métodos qualitativos e quantitativos adequados à investigação geoquímica e ambiental, bem como desenvolver censo crítico na preparação das amostras, aquisição e análise dos dados analíticos.

 

7. ANALISE ESTRUTURAL – PGGCI 527

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Geologia das rochas, os conceitos de esforço e deformação. A origem, geração, tipos e caracterização de estruturas. Os métodos analíticos e interpretação geométrica, cinemática e dinâmica de estruturas. Evolução e contexto tectônico em que ocorrem as feições estruturais mais comuns. Consultas e discussão dos principais tópicos da disciplina, além de parte prática de laboratório e aulas práticas de campo. Os tópicos da geologia estrutural a ser abordados são entendidos como essenciais para compreender a evolução da deformação de uma região da crosta terrestre.

Objetivos:

Geral: Fornecer aos estudantes uma formação básica adequada em geologia estrutural em nível de pós-graduação.

Específicos:

i) O aluno devera desenvolver destrezas para entender o registro da deformação nas rochas,

ii) identificar, caracterizar e hierarquizar feições estruturais interpretar sua gênese e evolução no tempo.

 

8. ESTUDO DE PETROTRAMAS - PGGCI 529

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Disciplina teórico-prática que tem por finalidade discutir tópicos sobre deformação interna de rochas e minerais, mecanismos e deformação, reologia de magmas e mecanismo de colocação de plútons. Envolve a aplicação de métodos analíticos de quantificação da deformação em escala macro e micro de petrotrama em nível de pós-graduação como caracterização de subtramas mediante Orientação Preferencial de Forma, Anisotropia de Susceptibilidade Magnética. O aluno devera desenvolver destrezas para entender o registro da deformação nas rochas, identificar, caracterizar e hierarquizar feições estruturais, interpretar sua gênese e evolução no tempo. Incluem realização de exercícios, práticas de laboratório e atividades fora de aula. Análises quantitativas de texturas e tramas podem revelar importantes parâmetros acerca da gênese, processos e a evolução da deformação de rochas.

Objetivos:

Geral: Ocupa-se de caracterizar a deformação em forma qualitativa e quantitativa para entender mecanismos de alojamento de plútons e o marco tectônico associado.

Específicos:

i) Proporcionar elementos para compreender em forma efetiva os mecanismos e processos involucrados na deformação de rochas em um contexto tectônico.

ii) Identificar e caracterizar feições de deformação em escala mesoscópica e microscópica;

iii) Entender a cinemática e a dinâmica geradora de strain de maneira que as feições estruturais de afloramento se vinculem com as regionais mediante hipóteses e modelos coerentes.

 

9. GEODINÂMICA

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Processos geológicos e tectônicos associados a limites de placas (dorsais oceânicas e zonas de subducção), ambientes intraplacas (ilhas oceânicas e grandes províncias ígneas). Discutir a natureza das fontes mantélicas envolvidas nos processos magmáticos e o seu significado geodinâmico (causas do magmatismo, heterogeneidades verticais e laterais do manto). Avanços metodológicos e mecanismos que podem explicar os principais processos tectônicos e magmáticos para subsidiar as pesquisas conduzidas pelos pós-graduandos em suas especialidades. Apresentar os conceitos sobre Tectônica Global e evolução crustal de forma a ser aplicados em estudos específicos assim como no projeto de pesquisa individual. Compreende consultas e discussão de problemas sobre os principais tópicos da disciplina, além de parte prática de laboratório.

Objetivos:

Geral: Aprofundar nos fundamentos e modelos que explicam a estrutura interna da Terra e a dinâmica global, observada em superfície e a diferentes profundidades.

Específicos: i) Analisar os modelos, ciclos geotectônicos e a evolução tectônica da terra no tempo e no espaço,

ii) Identificar, caracterizar feições tectônicas como orógenos, bacias, crátons para entender sua gênese e evolução.

 

10. GEOQUÍMICA ISOTÓPICA – PGGCI 522

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Conhecimento das principais técnicas analíticas aplicadas na obtenção de dados isotópicos em minerais e rochas para as sistemáticas isotópicas K-Ar, Ar-Ar, Re-Os, Rb-Sr, Sm-Nd, Pb-Pb e U-Pb. Aplicações das sistemáticas isotópicas como métodos de datação geocronológica e na geoquímica isotópica. O significado das idadesK-Ar em rocha total eAr-Ar em minerais com diferentes temperaturas de fechamento do sistema isotópicas. O método Sm-Nd: mobilidade das terras raras e comportamento dos sistemas isotópicos; O significado de idades modeloSm-Nd em rocha total e isocrónica em rocha total e minerais com as sistemáticas Rb-Sr e Sm-Nd; Reequilíbrio dos sistemas Rb-Sr e Sm-Nd a nível de mineral e de rocha total; escala de abertura/rejuvenescimento e o significado das datações; aplicações e restrições a diferentes tipos de rochas; O uso das sistemáticas Sm-Nd (parâmetro eNd) e Rb-Sr (eSr) como traçadores petrogenéticos. Obtenção de idades U-Pb no diagrama concórdia em zircão, monazita e titanita. Utilização dos métodos convencionais e por microssondas do tipo ICP-MS com Lase e SHRIMP em cristais de zircão, enfatizando as vantagens e desvantagens de cada método. Interpretação dos dados isotópicos Ar-Ar, Rb-Sr, Sm-Nd e U-Pb integrados. Determinar idades por cálculos manuais através das equações matemáticas e confecções de diagramas isocrónicos e o cálculo de idades com o uso do software isoplot.

Objetivos:

Geral: Entender como ocorre o acúmulo de isótopos radiogênicos em rocha e minerais. Como se determina suas razões isotópicas e de acordo com a evolução geológicas de uma área e dos tipos de litologias, qual o melhor método de datação a ser utilizado e qual o significado geológico dos dados obtidos.

Específico:

- Conhecer os conceitos químicos sobre os elementos radioativos e seus respectivos radiogênicos.

- Em quais tipos de rochas e/ou minerais deve se aplicar as metodologias e o significado dos dados obtidos.

- Aplicação de análises isotópicas Rb-Sr e Sm-Nd em rochas sedimentares, ígneas, metamórficas e minerais individuais. Quando utilizá-las como ferramenta geocronológica ou como traçadores petrogenéticos.

- Datação U-Pb nos minerais zircão, monazita e titanita com as técnicas de análises por diluição isotópica, ICP-MS e SHRIMP e o significado geológico de seus dados.

 

11. MICROSCOPIA DE MINÉRIOS - PGGCI 531

Nº de créditos: 3.1.2 - Carga Horária: 45 h (15 Teoria / 30 Prática)

Ementa: O microscópio petrográfico de luz refletida e os minerais opacos. Propriedades óticas e físicas das fases minerais opacas. Identificação dos principais minerais opacos. Texturas, intercrescimentos e estruturas em minerais opacos. Estabelecimento da sequência paragenética: Formação de minerais, associação mineralógica e sequência cronológica relativa. Aplicações na metalogênese. Aulas expositivas e práticas.

Objetivos: Familiarização com o uso do microscópio petrográfico de luz refletida, visando o reconhecimento dos minerais de minério mais comuns a partir das propriedades óticas, a identificação de texturas e micro-estruturas em associações de minerais de minério, assim como a aplicação desta técnica no estudo de depósitos minerais.

 

12. MINERAIS DE ALTERAÇÃO HIDROTERMAL - PGGCI 532

Nº de créditos: 4.2.2 - Carga Horária: 60 (30 Teoria / 30 Prática)

Ementa: Características físicas e químicas dos fluidos geradores de jazidas minerais e seu potencial para interagir com as rochas por onde estes percolam. Processos de Alteração hidrotermal e interação fluido-rocha Tipos de alteração mais comuns e sua identificação em lâmina delgada de rochas mediante a identificação de paragênese associada a minerais metálicos. Fornece ferramentas analíticas para caracterização e interpretação de processos geológicos vinculados a eventos tardi magmáticos crustais, metamórficos e formadores de depósitos minerais inseridos na compreensão da evolução crustal de uma região.

Objetivos:

Geral: Fornecer uma base teórica básica sobre os fundamentos da formação de jazidas minerais, a identificação de processos metamórficos e metassomáticos com foco na caracterização de fluidos hidrotermais.

Específicos:

i) contribui para o reconhecimento dos processos formadores de minerais associados processos hidrotermais.

ii) proporciona critérios analíticos para caracterizar paragens minerais e sua determinar relações com determinadas condições físico químicas de seus fluidos geradores iii) Contribui para a formação de alunos em nível de pós-graduação vinculados à linha de pesquisa em petrologia, metalogênese e evolução crustal.

 

13. PETROLOGIA ÍGNEA AVANÇADA – PGGCI 511

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Processos envolvidos na gênese e evolução dos magmas, química mineral e geoquímica das rochas ígneas, relação entre magmatismo e ambientes tectônicos, geotermômetros e geobarômetros aplicados às rochas ígneas. Isótopos aplicados a petrogênese das rochas Ígneas.

Objetivos: Possibilitar ao aluno o entendimento das etapas, fases e ferramentas necessárias para a realização de estudos de petrogenéticos de rochas ígneas, utilizando dados texturais, geoquímicos e isotópicos.

 

14. PETROLOGIA METAMÓRFICA AVANÇADA - PGGCI 533

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Mapeamento de terrenos metamórficos: interpretação de estruturas, identificação e classificação de protólitos. Fácies Metamórficas. Texturas metamórficas e reações no estado sólido. Geotermobarometria. Fluidos metamórficos. Fusão parcial, migmatização e mobilidade dos elementos químicos. Interpretação de dados geocronológicos e isotópicos de rochas metamórficas. Metamorfismo e tectônica

Objetivos: Possibilitar ao aluno o entendimento das etapas, fases e ferramentas necessárias para a realização de estudos de terrenos metamórficos e da petrogênese das rochas metamórficas, utilizando dados texturais, geoquímicos e isotópicos.

 

15. EVOLUÇÃO TECTONO-SEDIMENTAR DAS BACIAS DO AMAZONAS E SOLIMÕES - PGGCI 534

Nº de créditos: 4.3.1 - Carga Horária: 60 h (45 Teoria / 30 Prática)

Ementa: Disciplina teórico-prática voltada à compreensão da origem e evolução das bacias sedimentares do Amazonas e do Solimões, com ênfase na relação entre tectônica e sedimentação, incluindo os mecanismos de desenvolvimento dessas bacias e o preenchimento sedimentar resultante, além de abordar as questões relacionada com a exploração de recursos minerais e implicações ambientais.

Objetivos: Abordar a evolução geológica das bacias sedimentares do Amazonas e Solimões, por meio da aplicação de conceitos tectônicos, sedimentológicos, estratigráficos e paleontológicos, voltados para a reconstrução geométrica e análise sequencial das sucessões sedimentares, enfatizando os principais eventos, a reconstrução dos mecanismos geotectônicos de gênese e evolução da bacia e sua importância geoeconômica.

 

16. GEOLOGIA AMBIENTAL - PGGCI 535

Nº de créditos: 4.2.2 - Carga Horária: 60 h (30 Teoria / 30 Prática)

Ementa: Disciplina teórico-prática que aborda a compreensão dos processos modeladores da superfície da terra incluindo os antrópicos, suas causas e prováveis consequências para o homem. Inclui a aplicação de técnicas analíticas para o estudo das transformações naturas e antrópicos do meio físico, a variação no tempo e a quantificação de impactos ambientais. Compreende o estudo de casos aplicados reais, aborda aspectos bascos da legislação ambiental e sua aplicabilidade ao meio físico. Foca na compreensão da relação do meio físico e as mudanças derivadas da implantação de obras de infraestrutura. Inclui aulas praticas de campo.

Objetivos: Entender os procedimentos para diagnosticar processos geológicos – ambientais, compreender origem, dinâmica e avaliar a potencialidade de mudanças e/ou transformações e suas consequências futuras. Abordar métodos de avaliação de impactos geológicos considerando os conceitos de ameaça, vulnerabilidade e risco geológico. Discutir procedimentos para propor soluções e corretivos a intervenções humanas no ambiente físico. Efetuar pesquisa de campo para aplicar conceitos teóricos e procedimentos para desenvolver destrezas no diagnostico e caracterização de efeitos e sua qualificação ambientais (avaliação de impactos), considerando um caso particular onde o meio físico exiba intervenção socioeconômica.

 

17. FÁCIES SEDIMENTARES E PALEOAMBIENTES DEPOSICIONAIS - PGGCI 536

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Disciplina teórico-prática que compreende a caracterização de fácies sedimentares, hidrodinâmica sedimentar, estruturas sedimentares, agrupamento de fácies, paleoambientes e fácies sedimentares aplicada.

Objetivos:

• Capacitar o estudante na técnica de análise de fácies.

• Fundamentar a interpretação de processos hidrodinâmicos e reconstituição paleoambiental.

• Apresentar técnicas para aquisição de dados faciológicos.

 

18. GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO CONTINENTAL – PGGCI 521

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Disciplina teórico-prática que discute o período Quaternário como unidade geocronológica, glaciações quaternárias, mudanças climáticas, Quaternário da América do Sul e do Brasil, geomorfologia do Quaternário, ambientes deposicionais continentais, métodos de datação e neotectônica. As aulas práticas incluem exercícios gerais sobre os principais temas abordados e trabalho de campo.

Objetivos:

Geral:

- Apresentar os conceitos e métodos básicos usados no estudo do Quaternário em áreas continentais, com enfoque na região amazônica.

Específicos:

- Transmitir uma síntese da experiência e estágio atual do conhecimento sobre o tema proposto.

- Mostrar pesquisas em andamento sobre os diversos campos envolvidos nesta disciplina, principalmente os relacionados ao registro geomorfológico e estratigráfico, a influência das variações do nível do mar nos registros sedimentares continentais, os condicionantes paleoclimáticos e neotectônicos.

- Mostrar as aplicações do conhecimento na forma de exercícios, estudos dirigidos, seminários e campo.

 

19. HIDROGEOLOGIA – PGGCI 526

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: O curso contextualiza a água subterrânea no ciclo hidrológico, mostrando as suas interações com a água nas outras fases do ciclo. Aprofunda conceitos necessários para o entendimento dos processos e agentes que determinam o fluxo de água nas zonas não-saturada e saturada. Também apresenta os conceitos necessários para executar levantamentos regionais de hidrogeologia, em função de objetivos, formas e métodos de levantamentos de dados, determinação da qualidade destes, e formas de apresentação de resultados. No final do curso é apresentada a aplicação de modelos numéricos em hidrogeologia. O curso é composto por aulas teóricas, seminários e exercícios..

Objetivos: Passar aos discentes todas as ferramentas necessárias para a execução de sua dissertação de mestrado, no tocante ao tema hidrogeologia.

 

20. PALEOECOLOGIA - PGGCI 537

Nº de créditos: 3.3.0 - Carga Horária: 45h (45 Teoria)

Ementa: Disciplina teórica voltada ao estabelecimento de relações entre táxons fósseis e os efeitos da dinâmica das mudanças ambientais no passado geológico, através da avaliação qualitativa e quantitativa dos padrões de distribuição, diversidade, abundância e frequência de táxons fósseis, visando o reconhecimento de biofácies que possam ser empregadas em reconstruções paleoambientais, paleogeográficas, paleoceanográficas, paleoclimáticas e paleobatimétricas.

Objetivos: Apresentar e discutir a importância e a aplicação dos fósseis na reconstituição de paleoambientesdeposicionais, nas reconstruções paleogeográficas e na identificação de eventos paleoclimáticos e paleoceanográficos; e compreender as relações dos organismos com o meio ambiente, com os processos de sepultamento e de deposição de estratos.

 

21. PALINOLOGIA DO NEOGENO DA AMAZÔNIA - PGGCI 538

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Morfologia, a distribuição estratigráfica e aplicações (bioestratigrafia, paleoambiente, paleoclima, etc) dos grupos de matéria orgânica particulada recuperados a partir do processamento palinológico em rochas e sedimentos Neogenos das regiões central e ocidental da Amazônia.

Objetivos: Fazer com que o discente reconheça a morfologia dos palinomofos do Neógeno da Amazônia; que entenda suas distribuições estratigráficas e geográfica, bem como suas aplicações.

 

22. PEDOLOGIA APLICADA À GEOLOGIA - PGGCI 539

Nº de créditos: 3.2.1 - Carga Horária: 45 h (30 Teoria / 15 Prática)

Ementa: Trata sobre conceitos de solo. Fatores de formação: processos e fatores de formação dos solos, Características morfológicas dos horizontes, principais horizontes dos solos e pedogênese. Propriedades dos solos (caracterização analítica). Classificação dos solos. Tipos de levantamentos e mapas pedológicos. Interpretação cartográfica da cobertura pedológica. Aplicação da pedologia. Trata-se de disciplina teórico pratica que inclui aulas práticas de campo.

Objetivos: Fornecer conhecimentos sobre os processos de formação dos solos, as propriedades dos solos e sua importância no planejamento ambiental e urbano.    Fornecer aos alunos os conhecimentos básicos sobre processos pedogenéticos, evolução pedológica, identificando alguns diferentes tipos de solos, principalmente amazônicos.

 

 

PPGGEO | (92) 3305-2869 / 3305-2863 (R. 217) / 99128-6351 |